23 de fev de 2015

Arte e história no metrô parisiense: estação Concorde.

Inaugurado em 1900, o metrô parisiense é um dos mais antigos e densos do mundo: 303 estações, 205 km de linhas, mais de 1,5 bilhões de passageiros por ano.  Nenhum lugar da cidade fica a mais de 500 metros de uma estação.

O metrô é o retrato da cidade e em Paris não poderia faltar arte e história em seus corredores e plataformas. Na correria do dia a dia já não prestamos muita atenção em obras ou homenagens que estão presentes em muitas estações.

station concorde, paris 2015  © Laura Prospero
station concorde, paris 2015  © Laura Prospero

A estação Concorde é um ótimo exemplo. Quando chegamos pela linha 12 vemos milhares de azulejos brancos com letras azuis que cobrem inteiramente as paredes  e o teto. A primeira vista todas estas letras não fazem sentido, mas o que está escondido é o texto da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789, letra por letra, palavra por palavra, sem pontuação ou espaços (a pontuação está na parte de baixo das paredes). Dificultando a leitura do texto a artista provoca surpresa e desperta nossa curiosidade.

Com esta instalação monumental, inaugurada em 1991, a artista plástica e arquiteta Françoise Schein iniciou um projeto internacional dedicado aos direitos humanos. Sua obra é uma verdadeira viagem pelo mundo, visite o site da Associação Inscrire http://www.inscrire.com/  e o site da artista http://www.francoiseschein.com/.

station concorde, paris 2015  © Laura Prospero
station concorde/ligne 12, paris 2015  © Laura Prospero
station concorde, paris 2015 © Laura Prospero
station concorde/ligne 12, paris 2015 © Laura Prospero

Declaração dos Direitos do Homem, Museu Carnavalet - Paris





Vale lembrar que o texto original da Declaração dos Direitos do Homem está exposto no Museu Carnavalet, museu municipal sobre a história de Paris.

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestões e comentários são bem-vindos !